Bordalo II

 FRAGILE
Print digital sobre papel
Número: 118/500
Dimensão: 80 x 60 cm
Edição de 500 exemplares, editada nos Estados Unidos da América.

 Print intervencionado à mão pelo artista através da técnica do stencil; ou seja, cada um dos prints tem uma intervenção diferente, passando a ser cada obra única. 

Nota: O Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra desta obra receba imediatamente a serigrafia “Casa de D.ª Modista de Ser Cor de Rosa” do Mestre Roberto Chichorro. No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das obras, os clientes pagam as peças como puderem e, agora, recebem de oferta uma obra gráfica que vale 500 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte!

 

700,00

Em stock

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados para que esta obra passe a pertencer à sua coleção.

A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis, com o seguro do transporte das obras a ser oferecido pelo Clube Rastro. Todas as obras de arte disponíveis no site do Clube Rastro têm cotação e estão devidamente certificadas.

Pode optar por subscrever o Clube Rastro, um clube de colecionismo de arte onde se acede à obra dos melhores artistas nacionais através de um pequeno investimento mensal de verba para o clube. Veja em Subscrição como aderir ao Clube Rastro.

Os subscritores do Clube Rastro não pagam qualquer joia de inscrição e terão direito a diversos prémios. Para qualquer outra informação sobre esta obra, por favor contate-nos através do info@clube.galeriaorastro.com

REF: CR#1391 Categorias: , , Etiqueta:

Descrição

Artur Bordalo (Lisboa, 1987), de nome próprio, é Bordalo II, o nome artístico. Já expôs no Centro Cultural de Belém (CCB).

Bordalo II, resolveu seguir os passos do avô – Real Bordalo, pintor português do século XX – e estudou Pintura na Faculdade de Belas-Artes, em Lisboa.
Contudo, deu início à sua atividade artística nas ruas.

Talvez por ter dado os primeiros passos como artista nas ruas que o seu trabalho possui uma grande vertente urbana e cosmopolita.

exposição que esteve patente no início do ano no CCB – “World Gone Crazy” contou com dez trabalhos de ele, feitos com materiais retirados do lixo que espelham as temáticas do consumismo, desperdício e materialismo exacerbado.

Num dos seus trabalhos mais recentes, Artur Bordalo utilizou as linhas ferroviárias como tela. As obras estão espalhadas por várias linhas de Portugal e é à volta dos carris que o artista cria o seu trabalho.

Linhas com mensagens subliminares ou carris que se transformam em partituras são apenas alguns dos exemplos da forma como cria as suas obras sobre as linhas férreas.

Mas contrariando uma lógica cada vez mais globalizante, apresenta-nos espécies locais, espécies extintas ou em perigo.

Desde 2012, Bordalo Segundo já realizou cerca de duzentas esculturas de animais, mais de 60 toneladas de materiais reciclados.
As suas instalações podem ser encontradas em todo o mundo e representam assim um manifesto universal.
É também famoso pela série ferroviária realizada no seu país de origem, na qual utiliza engenhosamente vias férreas para a sua arte.

 

Outras obras deste artista