Cícero Dias

 Sem título
Serigrafia sobre papel nº 56/100
Dimensão da mancha: 48 x 40 cm
Dimensão total: 66 x 50 cm

Nota: O Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra desta obra receba imediatamente a serigrafia “Casa de D.ª Modista de Ser Cor de Rosa” do Mestre Roberto Chichorro. No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das obras, os clientes pagam as peças como puderem e, agora, recebem de oferta uma obra gráfica que vale 500 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte!

 

 

 

500,00

Em stock

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados.
Para pagar a obra em prestações, basta contatar-nos através do e-mail info@clube.galeriaorastro.com.
A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis. Para qualquer outra informação, por favor contate-nos por email ou através dos números de telefone: (+351) 233 411 188 ou (+351) 934 239 608.

REF: CR#1705 Categorias: , , Etiqueta:

Descrição

Cícero Dias nasceu em 1907, em Pernambuco.

Em 1920, muda-se para o Rio de Janeiro e matricula-se em arquitetura e pintura na Escola Nacional de Belas Artes (Enba).
Entra em contato com o grupo modernista e, em 1929, colabora com a Revista de Antropofagia. Em 1931, no Salão Revolucionário, na Enba, expõe o polémico painel “Eu Vi o Mundo… Ele Começava no Recife”. 

A partir de 1932, no Recife, leciona desenho no seu estúdio.

De seguida, viaja para Paris onde conhece Georges Braque, Henri Matisse, Fernand Léger e Pablo Picasso, de quem se torna amigo.
Em 1942, é preso pelos nazis e enviado para Baden-Baden, na Alemanha.
Posteriormente, muda-se para Lisboa onde vive entre 1943 e 1945 enquanto Adido Cultural da Embaixada do Brasil.

Em 1943, participou do Salão de Arte Moderna de Lisboa, onde obteve premiação e, em 1945, voltou a Paris e ligou-se ao grupo dos abstratos. Nesse mesmo ano, expõe em Londres, na Unesco em Paris e em Amsterdão.

Então em 1946, retorna a Paris onde integra o grupo abstrato Espace.
O seu estilo insere-se na vertente modernista tendo passado várias fases, mais geométrico e figurativo ao início mas sempre marcado pelo surrealismo e abstracionismo que acompanha a sua obra.
Em 1965, é  assim homenageado com uma sala especial na Bienal Internacional de São Paulo
Em1998, recebe assim do governo francês a Ordem Nacional de Mérito.

Cícero Dias faleceu em 2003, em Paris.

Outras obras deste artista