Dacos

 Sem título
Gravura sobre papel nº 55/200
Dimensão da mancha: 49,5 x 39 cm
Dimensão total: 75 x 56 cm

Nota: O Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra desta obra receba imediatamente duas serigrafias:  “A gente não lê” do artista Alfredo Luz e a  “Persona” do artista Martinho Dias. No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das obras, os clientes pagam as peças como puderem e, agora, recebem de oferta duas obras gráficas que valem 400 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte!

 

 

 

150,00

Em stock

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados para que esta obra passe a pertencer à sua coleção.

A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis, com o seguro do transporte das obras a ser oferecido pelo Clube Rastro. Todas as obras de arte disponíveis no site do Clube Rastro têm cotação e estão devidamente certificadas.

Pode optar por subscrever o Clube Rastro, um clube de colecionismo de arte onde se acede à obra dos melhores artistas nacionais através de um pequeno investimento mensal de verba para o clube. Veja em Subscrição como aderir ao Clube Rastro.

Os subscritores do Clube Rastro não pagam qualquer joia de inscrição e terão direito a diversos prémios. Para qualquer outra informação sobre esta obra, por favor contate-nos através do info@clube.galeriaorastro.com

REF: CR#1931 Categorias: , Etiqueta:

Descrição

Dacos nasceu na Bélgica em 1940.
Faz gravura, litografia e gravura em cerâmica.
Autor de centenas de gravuras, litografias, offsets e serigrafias.

Dacos foi um dos artistas homenageados na XVIII Bienal de Cerveira, que recebeu mais de 80 mil visitantes em 2015.
O artista participou ao longo de mais de 20 anos nas atividades da Bienal. Desde a Escola de Belas Artes de Lisboa, a Sociedade Portuguesa de Gravadores, até à Cooperativa Árvore, desenvolveu inúmeros ateliers de gravura, bem como intercâmbios de jovens artistas, portugueses e estrangeiros, com a Academia de Belas Artes de Liège.

Realizou numerosos livros de artista com poetas belgas, luxemburgueses, franceses e polacos.

Participou na criação e fundação de diversos grupos: ATPLOPG (1968), Gravprg International (1969), La Poupée d’Encre (1975), La Lettre Douce (1981), La Nouvelle Poupée d’Encre (1992). É membro fundador (e sempre ativo) das Edições Tétras Lyre (1988).

Realizou várias exposições individuais e coletivas entre Portugal, Bélgica, França, Espanha, Inglaterra, Argentina, Polónia, Itália ou Holanda.

Está representado em diversas coleções públicas e privadas.