Daniel Melim

Sem título
Tinta acrílica sobre membrana
Dimensão: 91 x 104
Dimensão com moldura: 95 x 108,5 cm
2011

Nota: Até ao fim do ano, o Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra deste original receba imediatamente os “Palhaços” do Mestre Roberto Chichorro! No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das peças, os clientes pagam as obras como puderem e agora – só até final do ano – recebem uma obra gráfica que vale 350 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte!                                                                                                           

Nota: caso deseje adquirir esta obra e não tenha disponibilidade para pagar de imediato a totalidade do valor, o Clube Rastro permite o pagamento fracionado. Basta contatar o nosso clube e combinar connosco um plano de pagamentos. Sem despesas nem juros para si! 

1.500,00

Esgotado

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados para que esta obra passe a pertencer à sua coleção.

A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis, com o seguro do transporte das obras a ser oferecido pelo Clube Rastro. Todas as obras de arte disponíveis no site do Clube Rastro têm cotação e estão devidamente certificadas.

Pode optar por subscrever o Clube Rastro, um clube de colecionismo de arte onde se acede à obra dos melhores artistas nacionais através de um pequeno investimento mensal de verba para o clube. Veja em Subscrição como aderir ao Clube Rastro.

Os subscritores do Clube Rastro não pagam qualquer joia de inscrição e terão direito a diversos prémios. Para qualquer outra informação sobre esta obra, por favor contate-nos através do info@clube.galeriaorastro.com

REF: CR#1162 Categorias: , Etiqueta:

Descrição

Daniel Melim nasceu em São Bernardo do Campo, subúrbio de São Paulo, em 1979.

Forma-se  em Artes Visuais, mas foi nas ruas do seu bairro que aprendeu a pintar.
faz graffiti e intervenções urbanas, quase sempre associadas ao stencil, técnica de pintura sobre máscaras com imagens vasadas.

Trata-se de um pintor formalista, preocupado com a composição, a distribuição das massas de cores, com a riqueza de texturas e com a impressão do processo em cada trabalho.

O imaginário pesquisado por Melim, remete ao conforto de figuras retiradas de compêndios de clichês de publicidade antiga e simbolizam o mundo ingenuamente feliz, projetado pela propaganda.

Mas o uso dessas imagens é, invariavelmente, crítico.
Às vezes despreza a qualidade simbólica da imagem e fica apenas com a textura proporcionada pelas manchas de tinta.

Cria, quase sempre, resíduos de imagens borradas e desfocadas, quase desfiguradas e transformadas em ruido visual.

A nostalgia gentil das imagens aplicadas nas suas telas, contrasta com a energia liberada pela pesquisa estética da sujeira, proposta pelo artista.
As texturas que impregnam cada centímetro da sua pintura, trazem a tona toda a beleza e a feiúra dos muros mal acabados e das construções pobres que inspiram o artista.

Daniel Melim transita pelo Pop das imagens publicitárias, dos letreiros e dos símbolos estériotipados usados na propaganda.
Transforma esses símbolos em elementos pictóricos, que explora como se fossem pinceladas na sua pintura.
Tanto nas telas, quanto nos murais.

O artista pesquisa os lugares que receberão as intervenções, olhando para a sujeira e o desgaste dos muros, provocado pelo tempo e pelo uso.

O artista propõe uma conversa aberta e estética com o transeunte desavisado, que se surpreende na sua rotina e desfruta a arte repentina.