Eduardo Luiz

Sem título
Serigrafia sobre papel 107/200
Dimensão da mancha: 50 x 31,5 cm
Dimensão total: 66 x 47 cm
1974
Obra emoldurada

Nota: O Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra desta obra receba imediatamente a serigrafia “Casa de D.ª Modista de Ser Cor de Rosa” do Mestre Roberto Chichorro. No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das obras, os clientes pagam as peças como puderem e, agora, recebem de oferta uma obra gráfica que vale 500 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte!

 

650,00

Em stock

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados para que esta obra passe a pertencer à sua coleção.

A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis, com o seguro do transporte das obras a ser oferecido pelo Clube Rastro. Todas as obras de arte disponíveis no site do Clube Rastro têm cotação e estão devidamente certificadas.

Pode optar por subscrever o Clube Rastro, um clube de colecionismo de arte onde se acede à obra dos melhores artistas nacionais através de um pequeno investimento mensal de verba para o clube. Veja em Subscrição como aderir ao Clube Rastro.

Os subscritores do Clube Rastro não pagam qualquer joia de inscrição e terão direito a diversos prémios. Para qualquer outra informação sobre esta obra, por favor contate-nos através do info@clube.galeriaorastro.com

REF: CR#1867 Categorias: , , Etiqueta:

Descrição

Artista plástico português, de seu nome completo Eduardo Luiz Teles Fernandes Gomes, nasceu em 1932, em Braga, e morreu em 1988.

Era filho de um escultor, e com ele começou a ter lições de desenho. Entre 1943 e 1946 frequentou a Escola de Artes Decorativas do Porto, e depois, até 1952, a Escola de Belas-Artes da mesma cidade, estudando pintura. Logo em 1953 ganhou o prémio Jovem Pintura da Galeria de Março. Nestes primeiros anos de vida artística, dedicou-se também à dança, à música e à cenografia.

Como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, partiu para Paris em 1958. Fixar-se-ia em França definitivamente. Então aí conquistou diversos prémios de prestígio.
Teve também oportunidade de expor em diversos outros países, nomeadamente Brasil, Espanha, Itália e Bélgica.

Ao longo das décadas de 1970 e 1980 desenvolve metodicamente um território que subverte o real através de dispositivos surrealizantes a que não é alheio o exemplo de Magritte.
Nas suas inclassificáveis revisitações das categorias tradicionais da pintura surgem alusões
à paisagem, à figura, à natureza-morta (veja-se, por exemplo, La Boucherie, 1980).
Revelando-nos um mundo onde “a ironia desliza para o humor, e este para o puro jogo infantil; mas imediatamente depois, o jogo gratuito torna-se humor negro e ironia sarcástica“.

A sua obra encontra-se  assim representada em numerosos museus e coleções públicas e particulares, entre os quais o Museu de Arte Erótica de San Francisco, o Museu de Arte Moderna de Paris, a Secretaria de Estado da Cultura e o Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian.

Em 1990 a Fundação Calouste Gulbenkian organiza uma importante exposição da obra do artista. Na qual ficaram patentes, em visão de conjunto, o seu apuro técnico, o seu perfeccionismo pictórico.

Em 1983, Eduardo Luiz foi condecorado com a Cruz de Santiago e Espada.

Outras obras deste artista