Heitor Chichorro

Sem título
Técnica mista sobre papel
Dimensão: 23 x 37 cm
Dimensão com moldura: 50 x 64 cm
1982

Nota: Até ao fim do ano, o Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra desta obra  receba imediatamente a serigrafia “Cinema V” de Silvio Fiorenzo! No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das peças, os clientes pagam as obras como puderem e agora – só até final do ano – recebem uma obra gráfica que vale 200 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte! 

400,00

Esgotado

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados.
Para pagar a obra em prestações, basta contatar-nos através do e-mail info@clube.galeriaorastro.com.
A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis. Para qualquer outra informação, por favor contate-nos por email ou através dos números de telefone: (+351) 233 411 188 ou (+351) 934 239 608.

REF: CR#1474 Categorias: , , Etiqueta:

Descrição

Pintor, ilustrador, professor, João Heitor Chichorro nasceu em Torres Vedras em 1944.

Concluiu o curso de Pintura na Escola Superior de Belas Artes do Porto em 1972 e, à semelhança de outros jovens artistas plásticos da sua geração, também despertou seriamente para as artes no Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, nos fervilhantes anos de 1970, enquanto adolescente já a residir na cidade do Mondego.

Aqui começou a desenvolver o seu talento, sobretudo com o mestre brasileiro Waldemar da Costa.

Hoje, Heitor Chichorro é um artista plástico consagrado.
“É um pintor de pessoas. De muitas pessoas, nos mais diversos sítios e situações, famílias, multidões, em festas, em euforia, em contemplação.
Em alguns casos fazendo lembrar as composições de um génio Chagall, noutros, o movimento do Realismo português, com as figuras de cara talhada na dor, segurando a maternidade como ancora, e olhando, olhando… a dimensão dos quadros que pinta não se restringe ao que fica pintado, sai do quadro e provoca o nosso olhar, a nossa inquietação sobre o dia a dia, sobre a expetativa do futuro, interroga a vida, de cada um, e da comunidade em que nos inserimos”.

Está representado em diversas coleções particulares, galerias e museus, como o Museu de Francisco Tavares Proença Júnior (Castelo Branco), o Museu Municipal Dr. Santos Rocha (Figueira da Foz) ou a Fundação Bissaya Barreto (Coimbra), bem como em numerosas coleções particulares.

Em 1996 concluiu também o Curso Especial de Artes Plásticas – Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto.

Profissionalmente, foi professor em várias escolas secundárias, na Figueira da Foz, Porto e Leça do Balio, mantendo atividade docente até 2001.
Passou a residir e a ter atelier na Figueira da Foz.
Este Município, de resto, atribuiu-lhe a Medalha de Mérito Cultural em 2012.

 

Outras obras deste artista