Jaime Isidoro

 Porto
Serigrafia sobre papel nº 45/50
Dimensão da mancha: 45 x 58 cm
Dimensão total: 56 x 76 cm

Nota: O Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra desta obra receba imediatamente a serigrafia “A Valsa dos Detetives” do Mestre Carlos Carreiro! No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das obras, os clientes pagam as peças como puderem e, agora, recebem de oferta uma obra gráfica que vale 225 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte!

 

 

450,00

Esgotado

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados para que esta obra passe a pertencer à sua coleção.

A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis, com o seguro do transporte das obras a ser oferecido pelo Clube Rastro. Todas as obras de arte disponíveis no site do Clube Rastro têm cotação e estão devidamente certificadas.

Pode optar por subscrever o Clube Rastro, um clube de colecionismo de arte onde se acede à obra dos melhores artistas nacionais através de um pequeno investimento mensal de verba para o clube. Veja em Subscrição como aderir ao Clube Rastro.

Os subscritores do Clube Rastro não pagam qualquer joia de inscrição e terão direito a diversos prémios. Para qualquer outra informação sobre esta obra, por favor contate-nos através do info@clube.galeriaorastro.com

REF: CR#1553 Categorias: , , Etiqueta:

Descrição

Jaime Gaspar Isidoro, pintor e aguarelista, nasceu no Porto em 1924.

Estudou pintura na Escola de Soares dos Reis.

Realizou a primeira exposição em 1945.

Em 1954 fundou a Galeria Alvarez que teve grande influência na divulgação da Arte Moderna em Portugal, realizou as Primeiras Exposições Póstumas de Amadeo de Souza-Cardoso 1956 e de Eduardo Viana 1967.

Editou a “Revista de Artes Plásticas”.

Promoveu os Encontros Internacionais de Arte e criou assim as Bienais Internacionais de Arte em Cerveira.

Foi condecorado com a “Ordem de Mérito, Grande Oficial” pelo Presidente da Republica, Prof. Doutor Aníbal Cavaco Silva, em 2006.

A paisagem urbana e em particular a cidade do Porto é  tema de muitas das suas obras.
Praticou de início um tipo de figuração com sensíveis simplificações formais, evoluindo depois para a abstração.
Por outro lado a sua carreira de pintor ficou marcada por dois períodos afastados no tempo que definem fases diferenciadas: uma primeira situada entre meados dos anos 40 e meados dos anos 50 do século XX, e uma segunda desenvolvida a partir da segunda metade da década de 1980. 

Jaime Isidoro obteve  assim numerosos prémios e medalhas em exposições de pintura e aguarela desde 1945 a 1986.

Exposições individuais e coletivas em diversas cidades Portuguesas, Espanha, Brasil, Alemanha, etc.

Atualmente está representado no Museu Nacional de Arte Contemporânea, Museu Fundação Calouste Gulbenkian,
Museu Municipal Amadeo Souza-Cardoso, Museu Soares dos Reis, Museu José Malhoa-Caldas da Rainha, Museu Machado de Castro, Museu de Goa – Índia.
Museu da Bienal Internacional de Arte de Cerveira, V.N. de Cerveira. Casa-Museu Teixeira Lopes, V. N. Gaia e coleções particulares.