João Paramés

Sentir a cor
Acrílico sobre tela
Dimensão: 80 x 100
2023

Nota: O Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra desta obra receba imediatamente duas serigrafias:  “A gente não lê” do artista Alfredo Luz e a  “Persona” do artista Martinho Dias. No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das obras, os clientes pagam as peças como puderem e, agora, recebem de oferta duas obras gráficas que valem 400 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte!

 

 

 

400,00

Em stock

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados.
Para pagar a obra em prestações, basta contatar-nos através do e-mail info@clube.galeriaorastro.com.
A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis. Para qualquer outra informação, por favor contate-nos por email ou através dos números de telefone: (+351) 233 411 188 ou (+351) 934 239 608.

REF: CR#2071 Categorias: , , Etiqueta:

Descrição

João Paramés nasceu em Lisboa em 1978.
Realizou o curso de Pintura em 1994-1995 na Sociedade Nacional de Belas Artes em Lisboa e, em 2003, licenciatura em Pintura na Escola Universitária das Artes de Coimbra.

O artista lisboeta define-se como um amante da cor.
Que surge nos seus trabalhos em tons fortes e contrastantes.
Assim a cor dá vida às histórias e personagens que desenha nas telas, num autêntico “festival de cores”.
Um rol de elementos que apelam à criatividade dos observadores, que recriam na imaginação um sem número de possibilidades para definir os trabalhos de João Paramés.

«Cada quadro tem sempre uma história ou, aliás, milhares de histórias, pois cada observador, quando entra dentro de um quadro, imagina sempre uma história.
Olhar a minha pintura é entrar dentro de um sonho que está repleto de um festival de cores».

«Os elementos de cores fortes são já uma imagem que eu criei, que fui amadurecendo à medida que cresci enquanto pintor e pessoa. É como uma sementinha que se põe na terra e vai germinando, e a pintura é mesmo assim: vai-se crescendo sempre, pois o nosso interior também cresce. Pinto em acrílico e em pastel de óleo, tal como se fizesse uma casa, sem nunca começar pelo telhado».

João Paramés tem obras representadas em inúmeras coleções privadas e públicas, nacionais e internacionais:
Assembleia da República, Câmara Municipal de Lisboa.
Museu da Fundação Portuguesa da Comunicação, Museu Grão Vasco.
Ministério das Finanças, Centro Galego de Lisboa, Fundação António Aleixo.
Casa do Artista, Clube dos Empresários, Banco Privado de Angola, Barclays Bank Portugal, Associação António Fragoso, Valormed, Siemens Lisboa, Sparkasse (Alemanha – Warstein), Câmara Municipal de Warstein (Alemanha), Les Enfants Bleux (França – Paris), Parlamento Galego (Espanha).

O artista vive e trabalha atualmente em Lisboa.

Outras obras deste artista