José Emídio

Sem título
Gravura sobre papel nº 53/60
Dimensão da mancha: 29,5 x 23,5 cm
Dimensão total: 50 x 34,5 cm
2001

Nota: O Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra desta obra receba imediatamente duas serigrafias:  “A gente não lê” do artista Alfredo Luz e a  “Persona” do artista Martinho Dias. No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das obras, os clientes pagam as peças como puderem e, agora, recebem de oferta duas obras gráficas que valem 400 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte!

 

125,00

Em stock

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados.
Para pagar a obra em prestações, basta contatar-nos através do e-mail info@clube.galeriaorastro.com.
A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis. Para qualquer outra informação, por favor contate-nos por email ou através dos números de telefone: (+351) 233 411 188 ou (+351) 934 239 608.

REF: CR#0927 Categorias: , Etiqueta:

Descrição

José Emídio nasceu em Matosinhos, a 7 de Maio de 1956.

Licenciou-se em Artes Plásticas na Escola Superior de Belas Artes do Porto em 1981.

Além de ter sido professor do ensino secundário, desde 1979, e superior, de 1982 a 1997, dedica-se à gravura, serigrafia, cerâmica e ilustração.

Foi Presidente da Direção da Cooperativa de Ensino Superior Artístico do Porto (CESAP), até 1997, e é Diretor da Árvore Cooperativa de Atividades Artísticas, desde 1989.

Mantém desde 1998 o cargo de Diretor das Oficinas de Cerâmica, Fotografia, Gravura, Litografia e Serigrafia da ÁRVORE.

José Emídio é um contador de histórias.

A sua pintura cruza a tradição dos grandes e pequenos temas e dos espaços fluídos.

Entre o presente e o passado, entre a grandeza e o prosaico, entre o conhecido e o imaginário.

José Emídio tem construído uma obra de sentido oficinal que recolhe, primeiro por prática escolar, depois deliberadamente, propostas de todo o passado; temas familiares e de quotidiano.