Júlio Reis Pereira

Sem título
Gravura sobre papel nº 75/150
Dimensão da mancha: 29 x 34 cm
Dimensão total: 37,5 x 56,5 cm
1968

Nota: O Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra desta obra receba imediatamente a serigrafia “O Quiosque” do Mestre Jacinto Luis! No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das obras, os clientes pagam as peças como puderem e, agora, recebem a oferta desta obra gráfica que vale 200 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte!  

225,00

Esgotado

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados.
Para pagar a obra em prestações, basta contatar-nos através do e-mail info@clube.galeriaorastro.com.
A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis. Para qualquer outra informação, por favor contate-nos por email ou através dos números de telefone: (+351) 233 411 188 ou (+351) 934 239 608.

REF: CR#1006 Categorias: , Etiqueta:

Descrição

Júlio Maria dos Reis Pereira nasceu em Vila do Conde a 1 de novembro de 1902.

Foi o quarto filho de José Maria Pereira Sobrinho e de Maria da Conceição Reis.

Entre 1919 e 1928 cursou Engenharia Civil na Faculdade Técnica e na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

Frequentou também a Escola de Belas Artes do Porto entre 8 de outubro de 1920 e 6 de outubro de 1921 (Curso Preparatório – 1.º ano).

Entre 1931 e 1935 trabalhou na Câmara Municipal de Vila do Conde, tendo chegado a ser Diretor-delegado dos Serviços Municipalizados.

Ao longo dos anos, Reis Pereira constituiu uma coleção com 375 peças, compradas em Évora, Estremoz, Borba, Vila Viçosa, Elvas, Lisboa e Porto.

Em 1941 casou com a brasileira Augusta da Silva Ventura, em Vila do Conde. O único filho do casal, José Alberto, nasceu no ano seguinte.

Júlio Maria dos Reis Pereira faleceu em Vila do Conde a 17 de janeiro de 1983.
Foi então homenageado postumamente logo em 1983, pelo Círculo Católico de Operários de Vila do Conde, pelo Clube Cinquenta de Lisboa (mostra evocativa da sua obra), pela Escola Secundária de Vila do Conde (exposição retrospetiva) e pela Galeria S. Mamede

Júlio foi um artista original e vanguardista,  porque começou a produzir uma ímpar obra expressionista durante os anos 20

Mas também foi o primeiro artista a introduzir o surrealismo em Portugal e a realizar pintura abstracionista nos anos 30; foi, nos anos 40, o pioneiro da aproximação da arte nacional ao neorrealismo.