Luis Gordillo

Charles Darwin Evolucionado-2
Serigrafia sobre papel Chromomat, P.A.
Dimensão: 140 x 100 cm
Ano: 2009

Nota: O Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra desta obra receba imediatamente duas serigrafias:  “A gente não lê” do artista Alfredo Luz e a  “Persona” do artista Martinho Dias. No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das obras, os clientes pagam as peças como puderem e, agora, recebem de oferta duas obras gráficas que valem 400 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte!

500,00

Em stock

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados para que esta obra passe a pertencer à sua coleção.

A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis, com o seguro do transporte das obras a ser oferecido pelo Clube Rastro. Todas as obras de arte disponíveis no site do Clube Rastro têm cotação e estão devidamente certificadas.

Pode optar por subscrever o Clube Rastro, um clube de colecionismo de arte onde se acede à obra dos melhores artistas nacionais através de um pequeno investimento mensal de verba para o clube. Veja em Subscrição como aderir ao Clube Rastro.

Os subscritores do Clube Rastro não pagam qualquer joia de inscrição e terão direito a diversos prémios. Para qualquer outra informação sobre esta obra, por favor contate-nos através do info@clube.galeriaorastro.com

REF: CR2878 Categorias: , Etiqueta:

Descrição

Luis Gordillo nasceu em Sevilha, em 1934, radicando-se em Madrid.

É uma das figuras de proa da arte contemporânea europeia e as suas obras estão expostas nos principais museus de arte contemporânea da América do Norte e da Europa.
Assim nos anos de 1950 viveu em Paris, onde conviveu com a vanguarda das artes plásticas europeias.
Explorando sobretudo os caminhos do Surrealismo e, mais tarde, da Pop Art, passando também a incorporar a fotografia nos seus trabalhos e um caráter vincadamente informalista ou geométrico, merecendo o epíteto de um dos grandes renovadores da pintura espanhola dos anos 1970.
Mas nos anos 80 a sua criação torna-se mais abstrata e o artista aprofunda o diálogo com a fotografia e os média.

Em 1970 e 1976, participou na Bienal de Veneza e, em 1971, na Bienal de São Paulo.

Assim são organizadas exposições retrospetivas da sua obra no IVAM de Valência (1993).
No Museu d’Art Contemporani de Barcelona (1999), no Museu d’Art Espanyol Contemporani em Palma (2004) e no Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, Madrid (2007), entre outros.

Entre outros, Luis Gordillo foi Prémio Velázquez de Artes Plásticas 2007.
Prémio Nacional de Artes Plásticas em 1981.
Também prémio da Comunidade de Madrid de Criação Plástica e Prêmio Andaluz de Artes Plásticas em 1991.
Prémio CEOE de Artes Plásticas em 1992.
Medalha de Ouro de Mérito em Belas Artes em 1996 e Medalha de Ouro do Círculo de Bellas Artes de Madrid em 2004.

Mas em 2008 é condecorado com a Ordem dos Cavaleiros das Artes e Letras da França, no
Ministério da Cultura e Comunicação.