Mariola Landowska

Vista do Cais
Acrílico sobre tela
Dimensão: 65 x 50 cm
2023

Nota: O Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra desta obra receba imediatamente a serigrafia “Casa de D.ª Modista de Ser Cor de Rosa” do Mestre Roberto Chichorro. No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das obras, os clientes pagam as peças como puderem e, agora, recebem de oferta uma obra gráfica que vale 500 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte!

 

980,00

Em stock

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados para que esta obra passe a pertencer à sua coleção.

A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis, com o seguro do transporte das obras a ser oferecido pelo Clube Rastro. Todas as obras de arte disponíveis no site do Clube Rastro têm cotação e estão devidamente certificadas.

Pode optar por subscrever o Clube Rastro, um clube de colecionismo de arte onde se acede à obra dos melhores artistas nacionais através de um pequeno investimento mensal de verba para o clube. Veja em Subscrição como aderir ao Clube Rastro.

Os subscritores do Clube Rastro não pagam qualquer joia de inscrição e terão direito a diversos prémios. Para qualquer outra informação sobre esta obra, por favor contate-nos através do info@clube.galeriaorastro.com

REF: CR#1800 Categorias: , Etiqueta:

Descrição

Mariola Landowska é uma pintora polaca, que um dia escolheu viver em Portugal, “lugar de ligação das culturas luso-brasileira e luso-árabe”
Mariola Landowska manifesta claramente o seu interesse e conhecimento das culturas indígenas. Nesta pintura transparece a sensibilidade feminina.

Formada em arquitetura na Polónia, estudou pintura, mais tarde, em Itália.
Aprofundou os estudos com conhecimentos de etnografia e mitologia.
A sua admiração por culturas indígenas levou-a até Marrocos e Brasil ao encontro das tribos Pi-Kiriri e Fulni-Ôs.

Um dos seus temas principais são as mulheres, onde retrata assim as fragilidades, os encantos, os anseios e sua força, por meio das expressões, traços e gestos, reflete e explica que ela sendo mulher, busca retratar o lado frágil, dócil, afetuoso das mulheres do cotidiano.
Outro tema, muito presente nas suas obras é a água, porque para os  povos indígenas representa a vida, e também uma fonte de alimentos para a subsistência dos povos.

Explora também diferentes formas de expressão artística em azulejaria e escultura em mármore.
Se é sensível, indiferentemente das suas origens, o ser humano partilha da emoção e da experiência estética da arte em qualquer lugar do mundo.
Margarida Pinto Correia (Fundação do Gil) 2008 “Humanos e raízes” exposição dedicada à Fundação do Gil. “…Pela força das cores. Pelo universo da luz, pela vontade de fazer daquele Mundo, porque o trabalho dela nos abre janelas.”

Outras obras deste artista