Matilde Marçal

 Missiva I
Água-Forte sobre papel nº 120/200
Dimensão da mancha: 49,5 x 39,5 cm
Dimensão total: 70 x 52 cm
1976

Esta obra encontra-se em acervo na Fundação Calouste Gulbenkian.

Nota: O Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra desta obra receba imediatamente duas serigrafias:  “A gente não lê” do artista Alfredo Luz e a  “Persona” do artista Martinho Dias. No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das obras, os clientes pagam as peças como puderem e, agora, recebem de oferta duas obras gráficas que valem 400 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte!

 

 

 

175,00

Em stock

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados.
Para pagar a obra em prestações, basta contatar-nos através do e-mail info@clube.galeriaorastro.com.
A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis. Para qualquer outra informação, por favor contate-nos por email ou através dos números de telefone: (+351) 233 411 188 ou (+351) 934 239 608.

REF: CR#1932 Categorias: , Etiqueta:

Descrição

Matilde Marçal nasceu em Abrantes (Portugal) em 1946.

Licenciou-se em Pintura pela Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa.

Donde iniciou funções de professora em 1972.

Fez diversas viagens de estudo a Itália (Veneza, Florença e Roma) entre 1972 e 1974.

Foi investigadora no Centro Nacional de Calcografia e Gravura do Instituto de Alta Cultura.

Em 1977 foi membro da Comissão Técnica da Cooperativa de Gravadores Portugueses.

Em 1978 recebeu uma bolsa de investigação da Fundação Calouste Gulbenkian e em 1980 uma bolsa de curta duração da Secretaria de Estado da Cultura para estudo da Pintura de Vanguarda Espanhola (Cuenca, Madrid e Barcelona).

Matilde Marçal é um nome inconfundível da Pintura Contemporânea Portuguesa, com trabalho desenvolvido ao nível da pintura, gravura e desenho.

A sua obra revela-nos um novo universo, situado entre a poesia e o silêncio, o passado e o presente, o presente e o futuro.

Com uma paleta de grande riqueza cromática, consegue matizes de cores dos brancos aos castanhos e destes aos violetas perfeitamente deslumbrantes que nos convidam a entrar nas suas recordações.

Sugere-nos com a sua pintura a lembrança de uma perda antiga.

A pintura de Matilde Marçal percorrida por uma história infindável em que a plástica caligráfica se deixa envolver pela plasticidade da cor.

Desde 1988, Membro da Academia Nacional de Belas-Artes.

 

Outras obras deste artista