Nadir Afonso

 Sem título
Serigrafia sobre papel nº 124/450
Dimensão: 21 x 24 cm
Dimensão com moldura: 40 x 43 cm

Nota: O Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra desta obra receba imediatamente duas serigrafias:  “A gente não lê” do artista Alfredo Luz e a  “Persona” do artista Martinho Dias. No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das obras, os clientes pagam as peças como puderem e, agora, recebem de oferta duas obras gráficas que valem 400 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte!

 

 

 

 

 

600,00

Em stock

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados para que esta obra passe a pertencer à sua coleção.

A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis, com o seguro do transporte das obras a ser oferecido pelo Clube Rastro. Todas as obras de arte disponíveis no site do Clube Rastro têm cotação e estão devidamente certificadas.

Pode optar por subscrever o Clube Rastro, um clube de colecionismo de arte onde se acede à obra dos melhores artistas nacionais através de um pequeno investimento mensal de verba para o clube. Veja em Subscrição como aderir ao Clube Rastro.

Os subscritores do Clube Rastro não pagam qualquer joia de inscrição e terão direito a diversos prémios. Para qualquer outra informação sobre esta obra, por favor contate-nos através do info@clube.galeriaorastro.com

REF: CR#1729 Categorias: , , Etiqueta:

Descrição

Nadir Afonso nasceu em Chaves, em 1920, e faleceu em Cascais em 2013.

Em 1939, faz a sua primeira exposição individual, em Chaves, sendo já aluno de Arquitetura na Escola Superior de Belas-Artes do Porto, onde se licenciou.

Assim rapidamente entra nos circuitos de vanguarda artística portuense, multiplicando presenças em mostras coletivas e individuais e explorando novos caminhos na pintura: expressionismo, surrealismo ou como mestre do abstracionismo geométrico.

Em 1946, estuda pintura na École des Beaux-Arts de Paris.
Até 1948 e novamente em 1951 foi colaborador do arquiteto Le Corbusier.
De 1952 a 1954, trabalhou no Brasil com o arquiteto Oscar Niemeyer.
Nesse ano, regressa a Paris, retoma contacto com os artistas orientados na procura da arte cinética.
Desenvolve os estudos sobre pintura que denomina «Espacillimité», ao lado de nomes como Victor Vasarely, Fernand Léger, August Herbin e André Bloc.

Mas além de celebrado artista plástico, Nadir Afonso é ensaísta e autor de uma teoria estética, que expandiu em vários livros, onde defende que a arte é puramente objetiva e regida por leis de natureza matemática.

Assim entre muitos outros, recebeu as seguintes distinções: Prémio Nacional de Pintura (1967).
Prémio Amadeo de Souza-Cardoso (1969).
Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada (2010).

Saiba mais sobre Nadir Afonso e a sua obra através da Fundação Nadir Afonso, sediada em Chaves.

Outras obras deste artista