Sérgio Amaral

da série Matarrachos
Escultura em barro negro
Dimensão: 35 x 16 x 9 cm

150,00

Esgotado

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados para que esta obra passe a pertencer à sua coleção.

A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis, com o seguro do transporte das obras a ser oferecido pelo Clube Rastro. Todas as obras de arte disponíveis no site do Clube Rastro têm cotação e estão devidamente certificadas.

Pode optar por subscrever o Clube Rastro, um clube de colecionismo de arte onde se acede à obra dos melhores artistas nacionais através de um pequeno investimento mensal de verba para o clube. Veja em Subscrição como aderir ao Clube Rastro.

Os subscritores do Clube Rastro não pagam qualquer joia de inscrição e terão direito a diversos prémios. Para qualquer outra informação sobre esta obra, por favor contate-nos através do info@clube.galeriaorastro.com

REF: CR#1380 Categoria: Etiqueta:

Descrição

Sérgio Amaral nasceu em Mangualde em 1959.
É um ceramista que tem vindo a conquistar um lugar único no contexto da cerâmica portuguesa.

Autodidata, desenhista, pintor e ceramista de vocação.
Este artista em vinte anos de atividade possui no seu currículo mais de cinquenta exposições individuais e coletivas de pintura, escultura, cerâmica e olaria.

Opta pelo modo de cozedura tradicional, em soenga, e a técnica de cozedura oriental associada ao Rákú.

Cruzando, com as suas figuras antropomórficas – os matarrachos – os campos da plástica popular e da estética contemporânea.

É por um certo acaso que contacta, na década de 1980, com a produção olárica de Molelos, que mantinha à época alguns processos de fabrico primitivos.

Sérgio Amaral passa assim a frequentar uma oficina para aprender as técnicas de produção, começando rapidamente a criar as suas próprias peças.

O contacto com o Mestre Zé Maria, de Ribolhos, será fundamental na sua decisão de se dedicar exclusivamente ao figurado.

Desde então que os matarrachos – construídos através de técnicas distintas que Sérgio Amaral faz questão de continuamente aprender, constituem o centro da sua produção.

Mas nos últimos anos tem-se dedicado a tornar o seu atelier em Mangualde num espaço de partilha e aprendizagem, realizando cursos, workshops e eventos em torno da olaria.