Sérgio Pinhão

Sem título
Serigrafia sobre papel nº 186/200
Dimensão: 48,5 x 68 cm
1982

Nota: O Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra desta obra receba imediatamente a serigrafia “A Valsa dos Detetives” do Mestre Carlos Carreiro! No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das obras, os clientes pagam as peças como puderem e, agora, recebem de oferta uma obra gráfica que vale 225 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte!

 

 

150,00

Em stock

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados para que esta obra passe a pertencer à sua coleção.

A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis, com o seguro do transporte das obras a ser oferecido pelo Clube Rastro. Todas as obras de arte disponíveis no site do Clube Rastro têm cotação e estão devidamente certificadas.

Pode optar por subscrever o Clube Rastro, um clube de colecionismo de arte onde se acede à obra dos melhores artistas nacionais através de um pequeno investimento mensal de verba para o clube. Veja em Subscrição como aderir ao Clube Rastro.

Os subscritores do Clube Rastro não pagam qualquer joia de inscrição e terão direito a diversos prémios. Para qualquer outra informação sobre esta obra, por favor contate-nos através do info@clube.galeriaorastro.com

REF: CR#1857 Categorias: , Etiqueta:

Descrição

Em 1969, Sérgio Pinhão frequenta a Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, onde estudou arquitetura.
Ainda nesse ano, estudou gravura com João Hogan e em 1970, serigrafia com o artista belga Dacos.

Destacou-se principalmente como gravador durante os anos 70 e 80, em ligação à antiga Cooperativa GRAVURA.
Onde foi membro da Direção, assim durante vários anos e onde trabalhou a serigrafia de forma notável.

Em 1979 Integra então o Conselho Técnico e membro da direção da Sociedade Nacional de Belas Artes.

O seu trabalho em gravura foi, durante vários anos subsidiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, que também apoiou a investigação em holografia.
A partir de 1995 retomou então o trabalho em pintura e serigrafia.

Sérgio Pinhão participou em várias exposições: 1970 Exposição do Curso de serigrafia, «Gravura», IV Salão da Arte Moderna de Luanda e 1ª Bienal Internacional de Seoul, Coreia. 1971 Seatle Art Museum 42dm International, Seatle, USA.