Vhils e Cargaleiro

 Mensagem
Litografia a nove cores sobre papel nº 64/180
Dimensão: 70 x 100 cm
2023

Obra emoldurada com vidro museu.

Nota: Até ao fim do ano, o Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra desta obra receba imediatamente a serigrafia “Os Palhaços” do Mestre Roberto Chichorro! No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das peças, os clientes pagam as obras como puderem e agora – só até final do ano – recebem a oferta desta obra gráfica que vale 350 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte!  

Nota: caso deseje adquirir esta obra e não tenha disponibilidade para pagar de imediato a totalidade do valor, o Clube Rastro permite o pagamento fracionado. Basta contatar o nosso clube e combinar connosco um plano de pagamentos. Sem despesas nem juros para si!

6.000,00

Esgotado

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados para que esta obra passe a pertencer à sua coleção.

A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis, com o seguro do transporte das obras a ser oferecido pelo Clube Rastro. Todas as obras de arte disponíveis no site do Clube Rastro têm cotação e estão devidamente certificadas.

Pode optar por subscrever o Clube Rastro, um clube de colecionismo de arte onde se acede à obra dos melhores artistas nacionais através de um pequeno investimento mensal de verba para o clube. Veja em Subscrição como aderir ao Clube Rastro.

Os subscritores do Clube Rastro não pagam qualquer joia de inscrição e terão direito a diversos prémios. Para qualquer outra informação sobre esta obra, por favor contate-nos através do info@clube.galeriaorastro.com

REF: CR#1564 Categorias: , Etiqueta:

Descrição

Vhils e Cargaleiro juntaram-se e realizaram  esta obra.
Alexandre Farto, de seu nome artístico Vhils, nasceu em Lisboa em 1987 e cresceu no Seixal. Figura internacional da arte pública, sobretudo no graffiti, street art; a sua imagem de marca são os rostos esculpidos em paredes e muros.
Envolveu-se no graffiti ao ar livre. A princípio nas paredes e mais tarde em comboios, com amigos ou sozinho, em Portugal e logo depois passou a “grafitar” por toda a Europa.

O graffiti, disse, deu-lhe a base para decidir o seu futuro profissional: “Um dos conceitos fundamentais que exploro reside no ato de destruição enquanto força criativa, um conceito que trouxe do graffiti – um processo de trabalho através da remoção, decomposição ou destruição, ligado à sobreposição de camadas históricas e culturais que nos compõem. ”

Pintor e ceramista português, Manuel Cargaleiro é oriundo da Beira Baixa, onde nasceu em 1927. Antes de tudo, inscreveu-se na Faculdade de Ciências de Lisboa e chegou a trabalhar num banco. Logo depois frequentava as aulas livres da Academia de Belas-Artes e o atelier de olaria de José Trindade.

Em 1949 participou no I Salão de Cerâmica do SNI, vindo a receber o Prémio Nacional de Cerâmica em 1954, quando foi convidado para lecionar na Escola António Arroio. Como bolseiro do Governo italiano, estuda cerâmica em Faenza, Roma e Florença.

Na sua pintura pode distinguir-se um sentido ornamental e decorativo a opção pela bidimensionalidade e a negação da profundidade, de tal maneira que o trabalho da tela se confunde com o dos azulejos, na repetição dos quadriláteros, nos azuis, na necessidade de um enquadramento.