Maluda

 Lisboa XXXI (Casa dos Bicos)
Serigrafia sobre papel nº 55/150
Dimensão da mancha: 35 x 34 cm
Dimensão com moldura: 58 x 68 cm

Nota: O Clube Rastro tem uma oferta muito especial para si! Na compra desta obra receba imediatamente a serigrafia “Casa de D.ª Modista de Ser Cor de Rosa” do Mestre Roberto Chichorro. No Clube Rastro há um mundo de ofertas e vantagens: oferta do transporte das obras, os clientes pagam as peças como puderem e, agora, recebem de oferta uma obra gráfica que vale 500 euros!
Confie, compre no Rastro; há 35 anos a transformar os seus sonhos em arte!

 

1.000,00

Em stock

Qualquer interessado pode adquirir de imediato esta obra; basta clicar em Adicionar e seguir os passos indicados.
Para pagar a obra em prestações, basta contatar-nos através do e-mail info@clube.galeriaorastro.com.
A obra será entregue em sua casa de forma inteiramente grátis. Para qualquer outra informação, por favor contate-nos por email ou através dos números de telefone: (+351) 233 411 188 ou (+351) 934 239 608.

REF: CR#2115 Categorias: , , Etiqueta:

Descrição

Maria de Lourdes Ribeiro, nasceu em Goa, Índia, em 1934. Mas foi em Moçambique em 1948, que despertou para a pintura. Criando o seu pseudónimo Maluda e uma carreira a todos os títulos notável.

Nome maior das Belas Artes portuguesas, foi Grande Oficial da Ordem do Infante Henrique em reconhecimento da qualidade e universalidade da sua obra e contributo para a difusão global da cultura contemporânea portuguesa no mundo.

Em 1961 assina as primeiras telas, sobretudo retratos e, em Moçambique, integra um coletivo criativo que se auto-intitula “Os Independentes”, passando a expor com frequência.

Em 1963, com o apoio de uma bolsa de estudos da Fundação Calouste Gulbenkian, radica-se em Lisboa, onde aprende e trabalha com Mestre Roberto de Araújo.

Ainda com o apoio da FCG, passa três anos em Paris na “Académie de la Grande Chaumière”.

Com os mestres Jean Aujame e Michel Rodde, estreitado laços com a elite das artes plásticas que residiam na capital francesa,  nomes como Arpad Szènes, Vieira da Silva, Sotto, Piaubert, Pillet, António Dacosta ou Cargaleiro

Em 1967, regressa a Lisboa e dá uma atenção especial às paisagens urbanas e arquitetónicas.

Nunca perdendo no entanto a paixão retratista.

Sendo célebres as suas pinturas geniais de Amália Rodrigues, Ana Zanatti, Mário Soares, Álvaro Cunhal, Raul Solnado, Maria João Seixas, entre outros.

A artista Maluda faleceu em 1999.

Em 2009, com o Alto Patrocínio do Presidente da República, foi publicada a obra póstuma “Maluda.

A Busca da Harmonia Perfeita”, de Carlos Ribeiro, reunindo a quase totalidade da sua vasta obra.

Nesse ano, a Assembleia da República homenageou a artista com uma grande exposição retrospetiva.